ARTIGOS


A última ordem do coronel Aparício Borges

Leio a 3ª. edição de 2004. Livro de Harry Rotermund, pela Fundação Walter Perachi de Barcelos.

É um opúsculo que relata os dias em que o Coronel recebe a ordem de combater os paulistas constitucionalistas de 1932 até sua morte em combate.

O mérito para o leitor, especialmente par aos leigos, não militares, é percorrer a rota de trem e de combate, como a determinação de um oficial obedecer contra seu pensamento e ideologia.

O Coronel deixa claro ao Interventor Flores da Cunha sua posição, mas não se nega a obedecer a ordem. O autor traça um perfil também do começa da Brigada, formada na Guerra dos Farrapos, mas transformada em Brigada Militar pelo governador Fernando Abbot, que assumira o governo do Rio Grande do Sul no período turbulento da década de 1890; algo que é regra geral omitido quando se fala da formação de nossa BM.

O livro é quase todo ele laudatório o que diminui em parte a necessária objetividade que se pede a um memorialista ou historiador.

No entanto, reitero que para a Memória e para a História, mesmo assim, é uma contribuição.

 

 

Adeli Sell, professor e escritor.