ARTIGOS


A Consulente Sou Eu

Reflexões sobre um livro de alma feminista 
 
Ter alma de escritora e se assumir como escritora é seguir o que Lélia Almeida prega e faz.
Como diz a Patrícia de Freitas Pinheiro na orelha e eu repito e concordo:
"Vamos às crônicas de Lélia, nos fiemos nelas e assim nada nos faltará, porque sempre nos encontraremos aí."
As mulheres com certeza, tanto aquelas que querem viver a vida e ponto e as outras também que vão ficar vexadas por encontrarem ali seu retrato três por quatro. 
Ah, os homens também,  porque a autora disseca as almas do macharedo de A a Z.
Suas crônicas tem alguns elementos de contos, de alguma trama, mas  o que marca é a crônica curta, certeira, como uma de 13 linhas:  O Amante. É  uma para qualquer Seleção de Grandes Crónicas. E não é trocadilho.
Não busque aqui uma resenha de mais de meia centena de textos. 
Aqui é um Apelo à leitura. 
Além de Literatura, Lélia Almeida escreve muito mais.
É uma autoria para ler e estudar.
Este seu livro é de 2021 pela Confraria do Vento.
 
Adeli Sell