ARTIGOS


Liga da Canela Preta

Lemos com atenção "Liga da Canela Preta - a História do negro no futebol"; de José Antônio dos Santos.

A Liga nunca existiu; mas d e tanto falar, do modo como falavam da articulação dos times negros, a Liga agora está na memória dos lutadores contra o racismo na sociedade e no futebol.O pesquisador José Antônio dos Santos nos lega um estudo que só o fato do esforço pelos dados coletados já merece elogios.

Santos chega a falar do preconceito em relação a Liga que tinha outro(s) nomes. Acho que pode nem ter sido tanto assim, apesar do brutal racismo nos primórdios do nosso futebol.

Santos vai às fontes primárias e vê no Correio do Povo um periódico incentivador do futebol sem preconceitos. O autor chega a ter dúvidas sobre os palpites/ propostas pela melhoria da arbitragem, feitas pelo generoso cronista italo-brasileiro e precursor do jornalismo esportivo Arquimedes Fortini.

Lendo como li em inúmeros textos Fortini era assim. Ele se metia mesmo. Teve importante o papel na cidade, como na construção da Catedral e nas ajudas à Santa Casa. É certo que ele era assim, sincero e de propor e fazer.

Arquimedes era uma unanimidade por onde passava. E conhecendo Arquimedes como conheço -além do Esporte - pelas pesquisas que fiz sobre ele, posso adiantar ao autor que ele deve confiar no grande repórter.

Santos talvez tenha passado tempo demais analisando o grande Lima Barreto com suas infindáveis matérias contra o futebol.

Lima Barreto sabe o autor e nós todos o quanto foi importante, mas não merece tanto espaço neste tema.

Estas questões não são um problema. Mas aponto por convicção e respeito ao autor; na expectativa de poder debater com ele outros temas dos negros em Porto Alegre.

 

 

Adeli Sell, professor e escritor